Por Ângela Ximenes – Gerente Executiva da ABVCAP (Associação Brasileira de Private Equity & Venture Capital)

É cada vez mais crescente o número de empresas, com os mais diversos perfis, interessadas em buscar capitalização através de fundos de private equity e venture capital. Nessas companhias, há um desejo em comum: crescer muito e rapidamente. Na outra ponta estão os gestores desses fundos, em busca de negócios inovadores, onde possam agregar valor, que estejam inseridos em um mercado com crescente demanda nacional e internacional e com boas oportunidades de saída.

Através do venture capital e private equity, pequenas e médias empresas que pretendem transformar-se em grandes companhias passam a dispor de oportunidades adequadas para financiar o seu crescimento, com apoio para a criação de estruturas adequadas de governança corporativa, foco no crescimento e lucratividade, bem como na sustentabilidade futura do negócio.

Antes de procurar por esse tipo de aporte, o empreendedor deve estar consciente de que o private equity é uma forma de investimento no qual a empresa recebe um sócio e não apenas um empréstimo. Essa pessoa vai acompanhar o dia-a-dia da companhia e participar ativamente do processo de tomada de decisão. Muitas vezes a estruturação do negócio é feita e refeita ao longo do caminho.  Dizemos que esse investimento é como um casamento, só que com prazo de validade. Normalmente se encerra em até 10 anos, isto é, desde o investimento até a saída do negócio. Nesse período, a relação entre o gestor e o empreendedor deve ser transparente, de confiança e que adicione valor.

Enquanto o venture capital está relacionado a empreendimentos em fase inicial, o private equity está ligado a empresas mais maduras, em fase de reestruturação, consolidação e/ou expansão de seus negócios. Atualmente, esses fundos investem em quase todos os setores da economia brasileira. É importante ressaltar que investimentos através do VC/PE aumentam a competitividade das empresas investidas, possibilitam a expansão de suas atividades, implantam melhores práticas de gestão e governança, além de gerar emprego, renda e divisa fiscal, levando ao desenvolvimento sustentável de longo prazo.

Segundo dados da CVM (Comissão de Valores Mobiliários), o patrimônio líquido total dos 322 fundos de investimento em participações (FIPs), que operam no mercado brasileiro, atingiu em maio deste ano o valor de R$ 65 bilhões. Esse setor vem ganhando a cada ano mais notoriedade e visibilidade, despertando a atenção dos investidores estrangeiros que veem o Brasil como alternativa viável para obter retornos diferenciados no longo prazo e na diversificação de investimentos.

A ABVCAP, através de eventos nacionais e internacionais, vem promovendo a cultura do capital empreendedor, apresentando essa alternativa de capitalização e atuando como facilitador no relacionamento entre os integrantes da comunidade de investimentos de longo prazo no Brasil. É esse conceito que pretendemos levar ao público do BioPartnering Latin America.

Saiba mais sobre a ABVCAP acessando www.abvcap.com.br