Como falamos em artigos anteriores, uma das possibilidades para quem precisa captar recursos para a empresa ou para um projeto específico é utilizar os editais públicos de financiamento. Ainda que cada edital tenha regras especificas e suas particularidades, separamos algumas dicas que serão uteis para participar de qualquer edital. Além de ler esse artigo, lembre-se: é imprescindível ler todo o edital com atenção antes de iniciar o preenchimento dele e separar com antecedência os documentos que precisarão ser enviados. Aviso dado, vamos às dicas!

Formas de captar recursos para sua empresa

A elaboração de um projeto pode ser dividida em quatro fases principais. A primeira delas corresponde à fase inicial, onde são preenchidas informações básicas sobre o projeto como nome, identificação, o responsável e o prazo para execução. Dada à simplicidade dessas informações, não vamos detalhar essa etapa. As demais compreendem as diretrizes estruturais, organizacionais e financeiras, e serão detalhadas abaixo.

Diretrizes estruturais

Objetivo: o objetivo do projeto deve ser um texto sucinto, contendo informações sobre qual problema será resolvido ou qual a oportunidade de negócio vislumbrada. Ele deve dizer claramente o que se quer, mas sem entrar em detalhes sobre como isso será feito (essas informações são essenciais, mas serão contempladas em outro momento) e deve-se ficar atento para que esse objetivo esteja de acordo com aqueles previstos no edital.

Descrição do projeto: deve conter uma explicação detalhada sobre o projeto. Nessa etapa, é importante tentar equilibrar a riqueza das informações e a quantidade de termos técnicos e específicos que serão utilizados. Apesar desses termos conferirem autoridade, eles também podem dificultar a compreensão e prejudicar a avaliação do seu projeto. Use com cautela e moderação!

Justificativa: momento em que deve ser feita a defesa da ideia do projeto, apresentando os benefícios intrínsecos – benefícios para a instituição que irá apoiar – e extrínsecos – impactos que ultrapassam os interesses de quem irá apoiar e atingem a sociedade como um todo. São as chamadas externalidades positivas, efeitos que o projeto traz para todos. É importante ter clareza sobre quais serão essas externalidades, pois esse é um fator de grande peso quando estamos falando de captação de recursos públicos.

Escopo: o escopo indica os limites do projeto, de onde ele sai e até onde ele alcança. Na descrição do escopo de um projeto de P&D, é frequentemente necessário separar o investimento em P&D, ou pré-investimento, do posterior investimento em que a tecnologia desenvolvida será implantada comercialmente.

Metodologia: é o caminho pelo qual se espera atingir os resultados esperados. Dado o caráter incerto dos empreendimentos de inovação tecnológica, é comum que a metodologia seja alterada ao longo do processo ou após um grande esforço ter sido despendido. Mesmo assim, para a submissão ao edital você já deve ter definido qual a metodologia será utilizada nesse momento.

Atividades: é uma descrição das atividades que serão executadas para atingir os objetivos do projeto. Dado que as atividades serão definidas com base na metodologia, é comum que elas sejam confundidas. Estas atividades, de maneira geral, podem ser desenvolvidas tanto internamente quanto através da contratação de terceiros. Nesse caso, é importante observar se o edital contempla despesas com terceiros, em quais condições e se é necessário justificar detalhadamente quais atividades ficarão a cargo de quem.

Impactos: são os fatores que impactam potencialmente os resultados esperados do projeto. Eles podem ser de caráter cientifico, tecnológico, econômico, ambiental ou social.

Diretrizes organizacionais

Duração do projeto: identificar quando será realizada cada etapa e o prazo para conclusão delas.

Cronograma físico: formulação e planejamento sobre quando cada atividade será realizada e quanto tempo demandará. É a construção de uma tabela com essas informações, de forma clara e direta.

Diretrizes financeiras

Contrapartidas: ao solicitar um financiamento para inovação, é necessário especificar quanto dos seus recursos próprios serão comprometidos. Essas contrapartidas podem ser financeiras ou econômicas. A contrapartida financeira é aquela em que você se compromete a custear novos gastos necessários para realizar o seu projeto. A contrapartida econômica envolve a utilização de outros recursos próprios tais como equipamentos, profissionais pagos pela sua empresa, estrutura física como laboratórios, entre outros.

Recursos: nesse item é o momento de apresentar o orçamento, ou seja, reunir todos os gastos que serão necessários para a execução do projeto. Além disso, o responsável pelo projeto deve especificar qual a origem de cada recurso e como os recursos captados via edital serão utilizados. É importante também detalhar sobre as contrapartidas financeiras da instituição proponente e da financiadora.

Cronograma físico/financeiro: apresenta as despesas das atividades de P&D do projeto, distribuídos ao longo do tempo de sua execução e é o cerne de um pedido de financiamento para gastos com pesquisa e desenvolvimento a uma agência de fomento.

Conclusão

Nesse artigo, apresentamos algumas informações que são solicitadas para a maioria dos editais de captação de recursos para inovação. Outras informações poderão ser solicitadas no edital especifico que você concorrerá, mas a principal dica ainda continua sendo aquela dada no primeiro paragrafo desse texto: leia com muita atenção todo o edital, observando quais os prazos para cada etapa do processo, quais os documentos solicitados e o passo a passo para envio desses! E no caso de preenchimento de dados em plataformas eletrônicas, recomendamos que você preencha esses dados primeiro num arquivo de texto e só depois transcreva para a plataforma, pois caso ela apresenta alguma instabilidade, tudo que você preencheu estará salvo e bastará transcrever novamente. Acredite, às vezes a quantidade de itens a preencher é enorme e você não quer ter esse trabalho duas vezes! Ficou com alguma dúvida, quer nos contar sobre suas experiências boas (ou traumáticas) com editais ou simplesmente passar para falar o que achou do texto? Manda-nos um e-mail que conversamos!

Rafael Oliveira

Rafael Oliveira | Consultoria

Estudante de ciências econômicas na UFMG. Adora ler, ouvir música e sair para conhecer novos restaurantes e bons lugares para comer em Belo Horizonte. Esforça-se pra manter uma rotina de exercícios (e falha terrivelmente nisso toda semana).
consultoria@biominas.org.br