A Biominas Brasil lança o Movimento Biomaker, uma iniciativa que visa transformar e fortalecer a cultura maker, “do faça-você-mesmo” ou “do it yourself” com ênfase em biociências, nos cenários nacional e internacional.  O lançamento acontecerá hoje, 03 de novembro, das 16h00 às 18h00 na FINIT (Expominas) – Sala Uaitec 3 – Arena de Negócios. Inscrições para o evento são gratuitas e podem ser feitas aqui.

Cada vez mais presente nas universidades e no ecossistema empreendedor, a cultura maker já possui uma forte presença e desenvolvimento em áreas como eletrônica, artesanato, design e engenharias. A partir disso, seguindo uma tendência das próximas tecnologias exponenciais, que evolvem a nanotecnologia, genética, robótica e inteligência artificial, nasce então a versão deste movimento com foco em biociências, com o intuito de posicionar de maneira estratégica o Brasil nesta discussão.

O movimento biomaker segue de maneira pioneira no Brasil, os ideais e a proposta do movimento global DIYBio (Do it yourself Bio). E para nascer com força e capacidade de multiplicação de maneira orgânica, para isso, conta com alguns parceiros já confirmados: INCT Midas, IdeaReal BioLab UFMG, LiteLiMS e Instituto Metodista Izabela Hendrix.

“A partir do Movimento Biomaker incentivamos novas maneiras de interagir, pesquisar, criar e desenvolver soluções para os desafios da sociedade atual” afirma Rhaimá Costa, responsável pela gestão da iniciativa. Este Movimento também tem como propósito empoderar os indivíduos, possibilitando novo sentido e protagonismo para o seu trabalho maker em biociências, promovendo o conceito da Ciência Cidadã.

O Movimento Biomaker está estruturado em três pilares, Ecossistema Bio, Comunidade Biomaker e BioScience Hub, com a proposta de criar um novo mindset, movimentando o ecossistema de inovação e empreendedorismo com atividades de disseminação e networking, formação de multiplicadores e estruturação de um projeto de colaboração entre os membros do movimento.

Fazer parte do Movimento Biomaker traz uma gama de benefícios a todos os envolvidos:

  • Networking: acesso à uma rede qualificada de pesquisadores, cientistas e curiosos que compartilham dos mesmos ideais;
  • Eventos e capacitações: calendário de atividades para formar talentos e compartilhar experiências na construção de uma massa crítica e geração de conhecimento em Ciências da Vida;
  • Rede de parceiros: acesso a instituições públicas e privadas, em âmbito nacional e internacional, que possuem relevante atuação no setor;
  • Acesso a laboratórios e espaços maker: o membro do movimento terá acesso e condições facilitadas para uso de infraestrutura laboratorial, de prototipagem e de trabalho, para desenvolvimento de seus projetos;
  • Acesso a serviços especializados: assim como os espaços integrantes do movimento, os prestadores de serviço poderão disponibilizar ferramentas e serviços que agreguem valor aos membros participantes.

Quer saber mais informações sobre o Movimento e fazer parte da rede? Acesse: www.gobiomaker.org.br.