Qual o lugar, momento e pessoa certa?

 

O objetivo desse artigo não é oferecer uma fórmula mágica para você encontrar o investidor perfeito para sua startup. Mas certamente irá apresentar ideias valiosas para orientá-lo na busca por parceiros e investidores que possam ajudá-lo.

 

Antes de buscar parceiros e/ou investidores é importante identificar a maturidade do seu projeto. Nesse momento, você precisa aprender mais e estruturar sua equipe? Ou é momento de conseguir investimento para alavancar o negócio? Para ajudar nessa fase de diagnóstico do momento atual do seu projeto indico dois livros o “Dicionário Startupês – Os significados dos principais termos do ecossistema empreendedores” e o livro 10 Mil Startups: Guia prático para começar e crescer um novo negócio baseado em tecnologia no Brasil

 

Programas de pré-aceleração e aceleração:

 

Se ainda é necessário estruturar mais sua equipe e entender o mercado onde você quer atuar, o ideal seria investir em programas de pré-aceleração e aceleração. Várias instituições tanto públicas quanto privadas oferecem bons programas. É importante estar atento ao conteúdo dos cursos, para que invista seu tempo e dinheiro da melhor forma possível. Um bom programa de pré-aceleração inclui tópicos sobre gestão do tempo e da equipe, análise de mercado, contabilidade, captação de recurso e propriedade intelectual. Alguns desses cursos também oferecem mentoria, a qual consiste em um acompanhamento personalizado por algum profissional com experiência na área de empreendedorismo, que pode esclarecer dúvidas e dar dicas importantes para o sucesso do seu negócio.

 

Uma aceleradora também pode ajudá-lo nessa etapa. As aceleradoras têm o objetivo de acelerar o crescimento de uma startup, prestando serviços às empresas selecionadas, por meio de análise e aprimoramento de modelo de negócio, ampliação de rede de contatos, mentoria e ações para desenvolver essas empresas de forma mais rápida. Geralmente ela torna-se sócia minoritária da startup e realiza um “investimento semente” ou ajuda de custo. O investimento feito pelas aceleradoras é efetuado normalmente após a startup ser selecionada para um programa de aceleração. E pode variar de  R$ 50 mil a R$ 500 mil por empresa. Nesses casos o equity, geralmente, pode ser até 15%.

 

Participação em eventos

 

Outra estratégia super interessantes é a participação em eventos do setor, aquela velha frase clichê ‘quem não é visto, não é lembrado’, e é exatamente isso. O investidor pode morar ao lado, mas você não tem o hábito de interagir com sua vizinhança, e aí o único que sai perdendo é você. Além do networking os eventos também são fontes de conhecimento e aprendizado. Muitos eventos oferecem cortesias para participação de startups e até mesmo competições durante o evento, os chamados Hackatons, o que pode gerar uma visibilidade interessante para seu trabalho. Esteja atento às agendas de eventos do setor e busque mais informações sobre as possibilidades de cada um. O evento BIO Latin America oferece o Startup Stadium, que é uma competição de startups que são selecionadas através de um formulário na página do evento. As startups selecionadas ganham cortesia para participar do evento, stand e a oportunidade de apresentarem um pitch para investidores.

Relacionamento com NIT’s e Hub’s de inovação

 

Os NIT’s, ou Núcleos de Inovação Tecnológica, estão associados a instituições científicas e conforme determina a Lei de Inovação (10.973/2004), esses núcleos cuidam das operações de licenciamento e transferência de tecnologia. Caso seu projeto esteja diretamente relacionada à uma universidade o contato com o NIT é essencial, já que ele é o responsável legal pela ‘inovação’ ou produto que foi desenvolvido nas dependências da universidade.

Já os Hub’s são espaços que reúnem empresas nascentes de base tecnológica com alto potencial de crescimento, sejam elas startups e médias empresas e também potenciais investidores. A vantagem dos Hub’s é que eles oferecem um ambiente dinâmico e rico em termos de parcerias e oportunidades de negócio. Nesses espaços as oportunidades vão desde a contratação da startup como fornecedora, passam pelo estabelecimento de parcerias, e chegam ao investimento ou até mesmo a aquisição da startup, seja pelo próprio Hub seja pelos investidores ou empresas que patrocinam o espaço. 

Uma inovação nesse segmento é o chamado Hub virtual, a Biominas Brasil oferece essa possibilidade de relacionamento virtual para startups da área de ciências da vida, que é o  Biominas HUB virtual. O objetivo desse espaço virtual é fazer com que os benefícios de pertencer a um Hub chegue às startups de todo Brasil. Dentre os benefícios oferecidos por esse espaço virtual está: 

  • Biblioteca virtual com modelos de documentos relevantes em: Propriedade Intelectual, Jurídico, Contábil, entre outros; Relacionamento com mentores e investidores da rede de contatos do Biominas HUB;
  • Condições especiais para participação no Bio Latin America, o maior evento de biotecnologia da América Latina, que ocorre anualmente e é organizado pela Biominas Brasil em parceria com a BIO (Biotechnology Innovation Organization);
  • Descontos de 40% no curso do Biominas Academy (educação empreendedora no setor de Ciências da Vida);
  • Assessorias com fornecedores selecionados para as áreas: Jurídico, Contábil, RH, Regulatório e demais demandas;
  • Acesso ao portfólio de Perks do Biominas HUB (Descontos e benefícios exclusivos para nossos residentes em diversos serviços e plataformas);
  • Programa de acompanhamento e orientação remota – checkpoints trimestrais

O sucesso do seu empreendimento certamente vai depender de um esforço constante e estratégico que busque articular vários atores em prol dos objetivos do seu projeto. Escutar diferentes pontos de vista, contar com a ajuda de profissionais de áreas diversas e compartilhar sua experiência pode ajudar muito a trajetória da sua startups e também pode inspirar aqueles que ainda não tiraram a ideia do papel.