É comum encontrarmos o termo Inovação associado ao crescimento econômico e às novas fronteiras do conhecimento. Mas a inovação também traz consigo a valiosa qualidade de se reinventar a partir daquilo que já é conhecido.

 

           LÂMPADAS DE GARRAFA PET E POSTES SOLARES LEVAM LUZ A LOCAIS ISOLADOS

 

É justamente a partir dessa qualidade de se reinventar e buscar uma nova aplicação para o que já é conhecido que nasce o conceito de Inovação Frugal. Enquanto campo de estudo ela busca entender como os mercados emergentes têm construído a sua própria estratégia de inovação, se adaptando às características e limitações locais.

A Inovação Frugal surge como alternativa à Inovação Estrutural, que é predominante nos países desenvolvidos, e geralmente está centrada em empregar cada vez mais recursos para aumentar a oferta de novas soluções. Já a Inovação Frugal está centrada na economia de recursos, e se caracteriza pela simplicidade e clareza. 

Estudiosos afirmam que a mentalidade frugal surgiu nos mercados emergentes, especialmente na Índia e na China, em decorrência das adversidades e necessidades específicas do mercado desses países.

A discussão em torno da Inovação Frugal traz também outros conceitos como: engenharia frugal, inovação jugaad (palavra hindu cujo significado é improvisação criativa), inovação catalítica, inovação de base e inovação nativa. 

Todos esses conceitos levam à reflexão acerca da natureza da inovação, que nesse contexto está relacionada à capacidade de fazer mais com menos, de criar mais valor comercial e social e minimizar o uso de recursos como energia, capital e tempo.

Para concluir esse artigo gostaria de convidar você a refletir sobre os produtos e ou soluções que você conhece e que se enquadram neste conceito de Inovação Frugal. A reflexão e a criatividade são  ferramentas úteis quando se trata de trabalharmos juntos para favorecer a qualidade de vida em nossa sociedade.