A partir de artigos técnicos, comparações com outros países e regiões e da sua própria experiência, a Biominas Brasil elaborou uma lista de agentes e fatores estruturantes necessários para o desenvolvimento de um ambiente ideal de inovação em Biociências e Biotecnologia no Brasil.

Por agentes entende-se as instituições de apoio, o governo, as instituições de ciência e tecnologia, as empresas e os investidores com atuação em Biociências e Biotecnologia. Estes players estão envolvidos na cadeia de valor do setor por meio de atividades de regulação, promoção, apoio, produção e fornecimento de ativos tangíveis ou intangíveis, e fomento. Uma breve descrição dos agentes encontra-se abaixo:

  1. Os governos, suas instituições e agências em seu papel central como promotor, executor, financiador e regulador dos fatores estruturantes.
  2. As instituições de ciência e tecnologia por meio da sua capacidade de produzir ciência e tecnologia, base para propriedade intelectual e inovação, e formar recursos humanos especializados.
  3. As empresas em suas atividades de absorção de conhecimento, oportunidades de mercado e estímulos do ambiente, bem como da conversão dos mesmos em resultado tecnológico e econômico.
  4. Os investidores – aqui consideradas instituições públicas e privadas – para fornecer recursos financeiros, nas modalidades de subvenção (não-reembolsável), financiamento ou investimento, a projetos e empresas.
  5. As instituições de apoio, como fundações, associações e organizações setoriais, envolvidas na articulação dos atores envolvidos no setor.

Os agentes, de maneira conjunta e interdependente, atuam na promoção, produção e utilização dos fatores estruturantes. Relacionados tanto às questões institucionais como às questões empresariais, esses fatores atuam na dinâmica de desenvolvimento do setor de Biociências para promover um ambiente capaz de induzir inovações, crescimento setorial e desenvolvimento social e econômico, conforme descrito a seguir:

  1. Proteção intelectual: compreende o sistema de proteção tecnológica (legislações, exigências e ações dos órgãos) com o intuito de fomentar a inovação.
  2. Pesquisa e desenvolvimento: são atividades relacionadas a produção científica e tecnológica realizadas por instituições de ciência e tecnologia e empresas.
  3. Inovação: o conceito de inovação é bastante amplo e variado. Neste caso, foi considerado como a exploração de uma ideia, produto, serviço, tecnologia, processo ou modelo de negócio aliado a um resultado factível e mensurável.
  4. Recursos financeiros: refere-se ao capital oriundo de fontes internas ou externas aos agentes e em diferentes formatos (reembolsáveis e não reembolsáveis), utilizado para fins de pesquisa, desenvolvimento e inovação.
  5. Ambiente regulatório: compreende legislações, exigências e ações dos órgãos regulamentadores que podem impactar as áreas de atuação de Biociências.
  6. Recursos humanos: mão de obra especializada que exerce atividades nas instituições de apoio, governo, instituições de ciência e tecnologia, empresas e instituições de investimento.
  7. Governança: inclui governança corporativa e setorial. Portanto, compreende a administração dos recursos sociais e econômicos do setor ou de empresas visando o desenvolvimento dos mesmos. Inclui o suporte para discussão e aprovação de estratégias e políticas, além de fiscalização de ações ou políticas.
  8. Políticas públicas: iniciativas governamentais de regulação, fomento e apoio com impacto no setor de Biociências, específicas ou não.
  9. Gestão de negócios: refere-se as atividades de administração das empresas e instituições privadas e seus respectivos projetos.
  10. Empreendedorismo: compreende as competências e habilidades relacionadas à criação e execução de um projeto, bem como as atividades de fomento ao mesmo.
  11. Interação universidade-empresa: refere-se às atividades em que empresas e instituições de ciência e tecnologia se relacionam com vistas a atingir um objetivo comum. Inclui diversos arranjos como, transferência de tecnologia, codesenvolvimento, intercâmbio de mão de obra, contratação de serviços e outros.
  12. Transferência de tecnologia: constitui um arranjo possível de interação universidade-empresa. Porém, dada sua relevância no setor, foi considerado como um fator isolado. Refere-se às atividades de cessão e/ou comercialização de conhecimento técnico ou cientifico previamente desenvolvido.
  13. Parcerias corporativas: são as interações entre as empresas (fornecedores, produtores, consultores, investidores, entre outros) em diferentes arranjos nos quais os envolvidos aportam recursos e competências para alcançar um objetivo comum.
  14. Infraestrutura: refere-se as instalações e equipamentos necessários para a realização de atividades do setor, principalmente no âmbito das instituições de ciência e tecnologia e empresas.

Com o intuito de ilustrar a interdependência dos agentes e dos fatores estruturantes do sistema de inovação em Biociências, a Biominas Brasil desenvolveu uma apresentação gráfica em forma de colmeia para representar o sistema de inovação em Biociências:

Colmeia

Vale ressaltar que a COLMEIA DA BIOINOVAÇÃO, por tratar-se de uma proposta, está aberta para inclusões, deleções ou sugestões de aperfeiçoamentos de players do setor.