Foto: Franco Serrano/SIMIalmoco-fiemg-bio-latin-america

A Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) conectou empresas e apresentou a cadeia produtiva de biotecnologia mineira para investidores globais. Nessa quinta-feira (27), a entidade promoveu o Seminário de Investimentos em Minas Gerais, dentro da Bio Latin America Confence, maior evento do setor no continente, realizado em São Paulo. O encontro reuniu ainda o governo do Estado, por meio do Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais (INDI), e o governo federal, com a participação do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).

A prospecção de novos negócios para o Estado foi positiva para a Unitec, indústria de semicondutores de Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). O diretor de Ciências da Vida da empresa, Hércules Neves, afirma que contatos com importantes parceiros foram realizados durante o seminário. “Os desdobramentos surgirão a partir desses encontros”, disse.

“Há uma relação direta entre a indústria de semicondutores e o setor de ciências da vida. E Minas Gerais tem o ambiente ideal para que isso aconteça. A própria Unitec, que não tem origem mineira e escolheu a RMBH, é exemplo disso”, disse Neves. Ele destacou que o Estado conta com infraestrutura adequada para os negócios da cadeia produtiva do setor. “Existem soluções céleres, como porto seco eficiente, aeroportos e rede viária compatíveis”, garantiu.

O superintendente de Assuntos Estratégicos e Internacionais do Escritório de Prioridades Estratégicas da Fiemg, Marcos Mandacaru, destacou a presença de importantes empresas no seminário. “Muitas agendarão visitas a Minas Gerais para conhecer nosso ambiente de negócios e o ecossistema de inovação do Estado”, revela. É o caso do diretor de pesquisa e desenvolvimento da Dow Chemical Latin America, John Richard Biggs, e do gerente-geral da Lilly do Brasil, Julio Gay-Ger, que iniciaram tratativas com Mandacaru.

A presença do setor de biotecnologia em Minas Gerais é considerada robusta. Existem quatro polos de empresas da área, na região Central, no Triângulo Mineiro, na Zona da Mata e no Norte de Minas (Montes Claros). Os destaques são a GE Healthcare, Hermes Pardini, Novo Nordisk, Fundação Hemominas, Fundação Ezequiel Dias (Funed), Fiocruz Minas, Biomm Technology, Philips e Biominas Brasil. O Estado é o segundo no Brasil em número de empresas do setor instaladas. Se consideradas as companhias de ciências da vida, pula para o primeiro lugar.

A RMBH emprega 5 mil profissionais no setor. A Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) conta com mais de 160 doutores que são pesquisadores da área. O Estado todo abriga mais de 400 empresas de biotecnologia, que geram aproximadamente 18 mil postos de trabalho.

Apoio governamental – O Seminário teve a participação do secretário de Inovação do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Vinícius de Souza, da diretora-presidente do INDI, Cristiane Serpa, e do assessor da diretoria da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), Pedro Vasconcellos. Eles apresentaram as estruturas de apoio que as respectivas esferas governamentais oferecem para os investidores das áreas de biotecnologia e ciências da vida.

Vasconcellos apresentou aos representantes empresariais a criação de Fundos de Investimento em Participações (FIPs) pela Codemig, que será sócia minoritária de empreendimentos em áreas consideradas estratégicas para o Estado. Biotecnologia e ciências da vida é uma delas. A Companhia entrará com aporte entre R$ 50 milhões e R$ 100 milhões. “Estamos em fase final de licitação para contratação do gestor do fundo. A partir de janeiro, ele deve ir a mercado para captar entre cinco e 10 empresas”, informou. Ele acredita que os investimentos somados – Codemig, gestor do FIP e empresa – deverão ficar entre R$ 100 milhões e R$ 300 milhões.

Além dos investidores, empresários e entes de governo, o seminário da Fiemg contou com a participação do CEO da Biominas Brasil, Eduardo Emrich. A Bio Latin America Conference 2016 termina nesta sexta (28).

Fonte: Diário do Comércio