Foto BSLA partir de uma avaliação de desempenho do setor de saúde de Minas Gerais, a Biominas Brasil e a Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa no Estado de São Paulo (Interfarma) lançaram um programa de fomento à inovação e empreendedorismo em saúde, que recebe inscritos de todo o Brasil e países do mundo. Os resultados dos estudos realizados demonstraram uma clara desaceleração empreendedora e inovativa no setor, sobretudo na redução no número de empresas nascentes, que, de acordo com informações da Biominas, diminuiu quase três vezes, indo de 32% para 10,6% em 10 anos (entre 2004 e 2014).

Para enfrentar e mudar o cenário, surgiu o BioStartup Lab, uma iniciativa da Biominas e do Sebrae Minas, como uma estratégia setorial de potencialização do setor de ciências da vida (saúde humana, agronegócios/saúde animal, meio ambiente e a emergente digital health) em Minas Gerais, com parceria estratégica da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia e Ensino Superior de Minas Gerais (Sedectes). O programa encontra-se atualmente na sua quarta fase, a chamada rodada Interfarma, que servirá de laboratório para inovação e aproximação entre as startups e empresas deste setor.

Desde a implementação da BioStartup Lab, em 2015, a organização recebeu mais de 400 projetos vindos de 137 instituições diferentes. Segundo o presidente da Biominas Brasil, Eduardo Emrich, o principal ganho dos selecionados é o acesso a um grande mailing de empresas, com potencial de investimento, que poderão aportar recursos para o desenvolvimento da ideia. “É um ativo gigantesco para um projeto inovador em fase de desenvolvimento”, avalia.

A Biominas não investe dinheiro nas startups. As equipes selecionadas chegam ao BioStartup Lab, em Belo Horizonte, para validar ou construir o seu modelo de negócio. Isso quer dizer que até mesmo a estratégia de investimento e de captação de recursos está em construção ou sendo redefinida. “Antes do investimento, acreditamos que os empreendedores precisam ter consciência do quanto precisam, para o quê precisam e qual tipo de recurso é mais viável para o seu projeto. Vamos validar sua solução e seu modelo de negócio e nossa rede de contatos irá ajudá-lo a se conectar com os investidores quando for a hora certa”, completa Emrich.

Dividido em duas fases, o programa terá a quarta etapa realizada em São Paulo, do dia 30 de maio a 3 de agosto, e será direcionada para resolver os problemas do segmento farmacêutico. Por isso, nessa edição, que contará com a participação de 21 empresas, as soluções terão como foco as áreas de saúde humana e digital health.

Premiação – O programa é totalmente gratuito para os empreendedores e livre de equity (não exige contrapartida de participação caso a equipe venha a constituir uma empresa).

Viabilizado por meio de instituições parceiras, como Unimed-BH, Grupo Hermes Pardini e Interfarrma, ele acontece em duas etapas, com rodadas de modelagem de negócio, em que apenas 15 são classificadas e continuam no programa e fase Lab, quando se avalia a viabilidade, com atividades de capacitação especificas para startups de ciências da vida, em temas como aspectos regulatórios, propriedade intelectual, dimensionamento de mercado, captação de recursos para startups, formação de parcerias estratégicas e preparação para pitches.

Como premiação, a visibilidade e possibilidade de continuar o desenvolvimento do negócio na GroWbio, aceleradora de Biominas, a chance de continuar o desenvolvimento do negócio pela Unimed-BH e/ou Grupo Hermes Pardini e , na rodada Interfarma, os empreendedores têm acesso direto a grandes empresas associadas à Interfarma, aproximando os projetos inovadores do mercado com grandes possibilidades de networking e negócios.

A Biominas Brasil é uma instituição privada, criada em 1990, para apoiar o desenvolvimento de projetos em todas as suas etapas: da criação à expansão, com objetivo de constituir negócios de impacto em ciências da vida no País.

Sua área de negócio ‘Empreendedorismo’ dispõe de programas de educação empreendedora, pré-aceleração, aceleração de startups e incubação de empresas. Além disso, a Biominas oferece serviços de consultoria especializada a empresas nacionais e estrangeiras do setor, elabora estudos e organiza eventos de negócios no setor, como a BIO Latin America.

Clique aqui para ler a matéria diretor da fonte, Diário do Comércio