O Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) anunciou em 12 de junho de 2012 o sucesso dos testes clínicos de fase 1 da primeira vacina para esquistossomose, doença que afeta 200 milhões de pessoas no mundo. Baseada no antígeno Sm14, desenvolvido e patenteado pelo IOC, a vacina coloca o nome do Brasil na fronteira da ciência mundial, como a primeira vacina para helmintos.

Seu potencial multivalente a faz ser também eficaz contra fasciolose, verminose que afeta o gado, e se tornar uma possível base para imunizantes de outras doenças causadas por helmintos.

Desde o início, a pesquisa foi apoiada financeiramente pelo IOC/FIOCRUZ e pelos mecanismos de financiamento de pesquisas científicas como CNPq e FINEP, entre outros. O projeto teve ainda apoio do Programa de Desenvolvimento Tecnológico em Insumos para Saúde (PDTIS/Fiocruz).

Em 2005, a empresa Alvos licenciou da FIOCRUZ a tecnologia para o desenvolvimento das vacinas humana e veterinária, e conduziu as etapas seguintes de desenvolvimento tecnológico com a participação efetiva do grupo de pesquisadores da FIOCRUZ envolvidos na identificação da molécula. Além de recursos próprios, a Alvos captou recursos adicionais da FINEP. Em 2010, a empresa foi adquirida pela Ourofino Agronegócios, que assumiu as etapas clínicas finais e desenvolvimento industrial do processo.

A Alvos Biotecnologia foi idealizada pela Biominas Brasil

A Alvos Biotecnologia foi idealizada pela Biominas Brasil e a FIR Capital. Seu projeto foi aprovado pelo Comitê de Investimento do Programa de Transferência de Tecnologia, em 2004, recebendo recursos financeiros para a sua criação. O Programa de Transferência de Tecnologia é uma parceria entre a Biominas e o Banco Interamericano de Desenvolvimento que possibilita o financiamento e investimento em empresas nascentes de biociências

O modelo de negócios incluiu a internalização de tecnologias promissoras de universidades e centros de pesquisas, agregação de valor através do avanço no seu desenvolvimento e posterior licenciamento para terceiros que conduziriam os estágios finais de desenvolvimento e comercialização.

A gestão da Alvos foi feita pela equipe de Consultoria e business development da Biominas Brasil desde a análise e valoração da tecnologia licenciada da Fiocruz, captação de recursos da FINEP, condução dos processos de licenciamento até a identificação de parceiros e venda da empresa para a Ouro Fino em2010.

Fonte: Agência Fiocruz de Notícias