Os benefícios que uma parceria estratégica pode trazer para o seu negócio são bem conhecidos. Como diferentes empresas possuem diferentes limitações e competências, tais parcerias se apresentam como uma excelente maneira de reduzir os problemas internos de sua empresa e potencializar suas competências.

De um modo geral, elas podem colaborar gerando acesso à infra-estrutura e mão-de-obra especializada, acelerando o desenvolvimento de novos projetos, produtos e tecnologias, otimizando processos, aumentando o portfólio de serviços ou produtos ofertados, permitindo o acesso a novos mercados, dentre outros.

Alguns números ajudam a comprovar como essa estratégia tem ganhado importância e colaborado no aumento da eficiência das empresas. Em escala global, enquanto o volume financeiro total movimentado em operações de fusão e aquisição foi de US$ 1,3 trilhão nos anos 80, nos anos 90 o valor superou a marca de 11 trilhões![1]

Fusões e Aquisições são apenas um tipo de parceria estratégica. Conheça outros!

Contudo, como diferentes setores apresentam características distintas, tais estratégias podem se mostrar de maior relevância em áreas de atuação específicas. É o caso, por exemplo, do setor de Ciências da Vida e Biotecnologia. Questões relacionadas à infra-estrutura, acesso a recursos-financeiros, aspectos regulatórios e taxas de riscos, ajudam a explicar os motivos por trás disso.

Infra-Estrutura

O acesso à infra-estrutura é um dos fatores que explicam a importância das parcerias estratégicas no setor de Ciências da Vida. De maneira geral, o desenvolvimento de novas pesquisas e produtos no setor requer a utilização de equipamentos muito específicos, que podem variar dependendo do campo de estudo em questão. Além disso, alguns desses equipamentos não são produzidos no Brasil, possuindo altos custos de aquisição para as empresas.

Assim, a formação de parcerias é uma excelente estratégia para reduzir esse obstáculo, uma vez que outras empresas podem possuir a infra-estrutura que você necessita para o desenvolvimento de seus projetos.

Acesso a Recursos Financeiros

Em estudo conduzido pela Biominas Brasil em 2014, constatou-se que o principal desafio das empresas de Biociências de Minas Gerais para os dois anos subsequentes era a captação de recursos financeiros. Corroborando com essa informação, o mesmo estudo identificou que a principal fonte de recurso utilizada pelas empresas para fins de PD&I é o capital próprio, forma de financiamento que não requer captação.

A pesquisa ainda identificou que 65,2% das empresas têm interesse em acessar novas fontes de recurso, sendo que a forma de financiamento preferida entre elas é exatamente a partir de parceiros corporativos.

Tais números indicam que apesar do financiamento oriundo de parcerias estratégicas ainda não ser relevante no setor, as empresas enxergam valor nessa estratégia, ou seja, sabem dos benefícios que ela pode trazer para o seu negócio.

Ressalta-se que, em geral, tais parcerias ocorrem entre grandes players no mercado, que possuem acesso a dinheiro e recursos de investimento, e pequenas e médias empresas, que costumam colaborar com a inserção de novas tecnologias no mercado.

Aspectos Regulatórios

Os aspectos regulatórios se configuram como um dos principais obstáculos no setor farmacêutico, seja devido às exigências de certificação de produtos, ou aos procedimentos relacionados à pesquisa clínica que devem ser respeitados no lançamento de novos medicamentos no mercado.

E esse obstáculo se mostra ainda maior no Brasil, pois enquanto em outros países o prazo de aprovação de projetos de pesquisa clínica varia de 3 a 6 meses, aqui demora-se de 10 a 15 meses.

Conheça o Projeto de Lei que pretende acelerar esse processo.

Novamente, e se servir de consolo, as parcerias corporativas são uma boa estratégia para reduzir esses prazos e acelerar o desenvolvimento de novos produtos. Nesse caso, o know-how que certas empresas possuem com relação aos aspectos regulatórios e de certificação pode ser o diferencial que você precisa para superar essa barreira!

Altas Taxas de Risco

Por fim, é sabido que o processo de desenvolvimento de novas tecnologias já vem aliado de altas taxas de risco. Mas especialmente no setor de Ciências da Vida, esses riscos são maiores que em outras áreas, uma vez que os projetos demandam altos valores de investimento. Não obstante, também em decorrência das questões regulatórias, tais projetos possuem um extenso ciclo de desenvolvimento, ou seja, levam anos até que efetivamente comecem a ser comercializados e a gerar receitas.

Dessa forma, as parcerias corporativas podem ser úteis ao permitir que o risco que inicialmente estava concentrado em apenas uma companhia, seja dividido com os parceiros do negócio.

Parcerias Estratégicas: Uma tendência do setor

Um estudo conduzido pela Deloitte, intitulado “Healthcare and Life Science Predictions 2020. A Bold Future?”, trouxe dados que mostram as parcerias estratégicas como uma grande tendência do setor para os próximos anos.

O estudo analisou o lançamento de produtos farmacêuticos no mercado entre 2000 e 2013, e constatou que dois terços dos medicamentos lançados nos EUA no período foram oriundos de parcerias estratégicas.

Além disso, também foi realizada uma projeção do lançamento de novos medicamentos até 2020, onde percebeu-se que os produtos desenvolvidos a partir de atividades de colaboração serão quase o dobro que os produtos desenvolvidos sem a presença de um parceiro.

 Cases

Não faltam exemplos de parcerias entre farmacêuticas e empresas afins, no desenvolvimento e lançamento de novos medicamentos. Abaixo separamos alguns exemplos recentes, que comprovam essa afirmação:

Empresas Motivação
Capnia (EUA) e Essentialis (EUA) Criação de companhia terapêutica para doenças raras
Eddingpharm (EUA) e Lilly China Parceria para promoção e distribuição de medicamentos na China
Karyopharm (EUA) e Anivive Lifesciences (EUA) Desenvolvimento de medicamento de aplicação em Saúde Animal
Ono Pharma (EUA) e Seikagaku Corporation (Japão) Co-desenvolvimento e colaboração em marketing para tratamento de osteoartrite no Japão
Endo Ventures (Irlanda) e IntelGenx Corp (Canadá) Acordo de co-desenvolvimento para lançamento de produtos nos EUA
Seqirus (Austrália) e Zambon (Itália) Parceria para desenvolvimento e lançamento de produto contra a doença de Parkinson nos mercados da Austrália e Nova Zelãndia

 Como você deve ter percebido, o estabelecimento de parcerias corporativas é uma excelente estratégia, em especial no setor farmacêutico. No entanto, achar o parceiro ideal para o seu negócio pode não ser uma tarefa tão fácil.

A existência de inúmeros players no mercado torna difícil o mapeamento dos mesmos. Além disso, embora as empresas que estão procurando parcerias tenham claro em sua mente quais são os atributos que o seu parceiro deve ter, muitas dessas informações são internas às empresas, ou seja, são de difícil obtenção.

Por esses motivos, procurar uma empresa que possua know-how no setor-alvo pode ser uma boa maneira de encontrar o parceiro que mais se adequa à realidade do seu negócio.

Rafael Lustosa

Engenheiro de Produção pela UFMG e apaixonado por inovação. Possui experiências com consultorias em inovação e negócios. Gosta de pessoas com a mente aberta e dispostas a uma boa conversa!